#VotaFundeb – Deputados federais de MS firmam compromisso com ACP em aprovar PEC 15/2015

Ao longo de duas horas, a ACP debateu, com cinco deputados federais de MS, sobre a importância do Novo FUNDEB Permanente e a urgência em se aprovar a Proposta de Emenda à Constituição – PEC 15/2015. A transmissão ao vivo na página do Facebook do sindicato, contou, na noite desta quarta-feira (10), com a participação dos deputados Beto Pereira, Dagoberto Nogueira, Fábio Trad, Rose Modesto e Vander Loubet.

Todos se comprometeram em votar favoravelmente à PEC 15/2015, que torna o Novo Fundeb Permanente. A ACP, FETEMS e CNTE defendem a aprovação desta PEC, porque ela torna o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação mais justo e com mais recursos da União.

No início da discussão, o presidente da ACP, ainda revelou as manifestações da deputada Bia Cavassa, que disse não ser possível participar da live, por questões técnicas, mas que se comprometia a votar a favor do Novo Fundeb. O deputado Loester Trutis, apesar de não participar do debate, também afirmou ser favorável à PEC 15/2015. Já o deputado Luiz Ovando não respondeu ao ofício da ACP e a nenhuma tentativa de comunicação sobre a participação na transmissão ao vivo ou seu posicionamento sobre o tema.

“Foram duas horas de debate muito produtivo. Todos os deputados federais não só se manifestaram favoráveis à PEC 15/2015, como demostraram entender a importância do FUNDEB para a existência da escola pública brasileira. Nesse sentido, o grande ganho da discussão foi conquistar o compromisso dos parlamentares em trabalhar junto aos seus pares na Câmara dos Deputados para votarem a favor da proposta defendida pelos educadores”, comemorou o presidente da ACP e mediador do debate, professor Lucílio Nobre.

A ACP segue em campanha com as demais entidades de classe e organizações da sociedade em defesa da votação da PEC 15/2015 pela Câmara dos Deputados, ainda no mês de junho, a fim de garantir os prazos necessários para sua total aprovação ainda em 2020.

A urgência da votação se deve ao fato de o atual FUNDEB ter validade até dezembro de 2020. Se não for renovado, o fim do Fundo vai provocar o maior retrocesso na Educação Básica Brasileira, afetando mais da metade das redes públicas de ensino.

ACP – Desde 1952, nossa luta não para!