Prefeitura reconhece que deve cumprir lei, mas ainda não apresenta data de integralização

         A reunião entre representantes da ACP, o secretário Wilson do Prado e a procuradora adjunta do municícpio, KátiaSarturi, com a intermediação do promotor da 27ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche, aconteceu nesta segunda-feira (06), das 14h30 às 18h10, na sede da promotoria. Neste encontro, a prefeitura reconheceu que precisa cumprir a lei municipal 5.411/14, mas não estabeleceu um prazo para tanto.
         Sem avanços nesse sentido, a reunião foi suspensa no fim da tarde para que o representante da prefeitura buscasse junto à comissão de negociação e o prefeito, Gilmar Olarte, uma definição sobre a fixação de data para cumprimento do percentual de 13,01 estabelecido em lei.
         A discussão será retomada na manhã desta terça-feira (07), desta vez sem a presença da ACP. “O promotor já conhece nosso posicionamento. Queremos uma data. O fim da greve depende de uma posição da prefeitura quanto ao cumprimento da lei 5.411. A categoria aguarda uma solução para hoje, quando temos assembleia geral extraordinária as 15h, onde poderá ser avaliada”, afirma Geraldo Alves Gonçalves, presidente da ACP.

Agenda de Greve

         Ainda na manhã desta terça-feira, a categoria participa da sessão itinerante da Câmara de Vereadores que acontece no Senac. Na ocasião será entregue um documento (clique aqui) ao presidente da Câmara, Mário Cesar, e ao presidente da Comissão de Educação, João Rocha, cobrando melhorias e acompanhamento das situações e desmontes que estão acontecendo na escola pública municipal.
         O sindicato também vai protocolar, hoje, ao prefeito municipal Gilmar Olarte, um abaixo assinado com mais de 214 páginas de assinaturas da população campo-grandense, cobrando o cumprimento da lei municipal 5.411.