Piso 20h 2019 – Professores rejeitam primeira proposta da prefeitura

Os profissionais da Educação Pública Municipal de Campo Grande rejeitaram, por unanimidade, em Assembleia Geral Extraordinária desta terça-feira (07), na ACP, a proposta de correção anual do Piso Salarial do Magistério da REME – Rede Municipal de Ensino.

Após dois meses de reuniões entre a direção da ACP e equipe do Poder Executivo, composta por secretários municipais de Gestão, Finanças e Educação, a Prefeitura apresentou a primeira proposta no dia 30 de abril. O documento prevê apenas a integralização da correção anual de 2019, escalonada, entre os meses de outubro (0,50%) e dezembro (3,65%) deste ano. A data-base dos professores é no mês de maio.

A proposta foi severamente criticada pelos professores e a direção da ACP reforçou o peso da legislação que estabelece o Piso 20h. “Nós defendemos a manutenção de uma política salarial de valorização do magistério, nossa luta histórica, que está garantida na Lei Federal n. 11.738/2008 e Municipal n. 6.026/2018. Disso a categoria não abre mão. Esperamos avançar no diálogo e entendimento com a prefeitura para o cumprimento do Piso 20h”, argumentou o presidente da ACP, professor Lucílio Nobre.

A Assembleia também deliberou a continuidade nas tratativas com a prefeitura, aprovando uma contraproposta que será enviada à prefeitura nesta quarta-feira (08), cobrando que o prefeito Marquinhos Trad cumpra a Lei Municipal n. 6.026/2018, que estabelece a integralidade total do valor do Piso Nacional ao Piso Municipal do Magistério.

Atualmente, o passivo para a equiparação ao Piso Nacional corresponde a 21,17%.