Lutas, conquistas e desenvolvimento – ACP celebra os 122 anos de Campo Grande construindo essa história há sete décadas

Campo Grande completa, nesta quinta-feira, 26 de agosto de 2021, 122 anos. Em pouco mais de um século, a pequena vila do sul do Mato Grosso se desenvolveu e protagonizou a mudança geopolítica e histórica de uma região, tornando-se a promissora capital do jovem estado de Mato Grosso do Sul.

Ao mesmo tempo em que testemunhou seu crescimento, a ACP, entidade que caminha para seu septuagenário, também faz parte da construção histórica da cidade. Em suas ruas largas, os profissionais da educação lutaram por direitos; nas escolas públicas, construíram o conhecimento e promoveram o desenvolvimento sólido que faz de Campo Grande uma das 10 melhores capitais do Brasil para se viver.

Ao longo de sete décadas, o movimento sindical dos trabalhadores e trabalhadoras da educação lutou por melhores condições de trabalho, por escolas públicas com mais condições que favoreçam o aprendizado e a formação cidadã dos/as campo-grandenses. A ACP encarnou o pioneirismo campo-grandense, ao ser uma das primeiras entidades de classe dos professores do sul de Mato Grosso, ao lutar por conquistas fundamentais como o concurso público, a estabilidade, os planos de cargos e carreiras, por defender a democracia, o salário digno e a valorização da educação pública e seus profissionais.

 

Daqui de Campo Grande, a ACP participou ativamente da construção de nossa Constituição Cidadã, enviando uma delegação campo-grandense, que ajudou a plantar os princípios da educação pública na Constituição Federal de 1988. Da luta dos filiados à ACP, nasceram os estatutos do servidor público e do magistério da nossa cidade. A fundação da ACP antecede até a criação da Semed.

Nas últimas décadas, o protagonismo da ACP promoveu importantes transformações que possibilitaram o desenvolvimento da cidade, por meio da educação. A transferência da Educação Infantil da Secretaria Municipal de Assistência Social para a Secretaria de Educação é uma conquista da luta da ACP. A Gestão Democrática na REME também foi fruto dessa luta.

A defesa da política de valorização por meio da Lei Municipal n. 5.411/2014, do Piso 20h, marcou a cidade, com a maior greve de trabalhadores da história da REME, em 2015. Com duração de três meses, o movimento grevista dos professores e professoras revirou às entranhas e artimanhas políticas que contaminavam a cidade e culminou com a queda do prefeito Gilmar Olarte, no dia do aniversário da cidade.

Desafios atuais

Mergulhada na defesa da educação pública de nossa cidade e da valorização e melhoria dos serviços públicos em geral, que atendem nossa população, a ACP sempre atuou e atuará. Assim, a entidade denunciou o golpe contra os trabalhadores e trabalhadoras que vem sendo executado no Brasil desde 2016, retirando direitos como a Previdência Social, por meio da nefasta reforma de Bolsonaro, o fim dos investimentos em serviços essenciais como saúde, educação, segurança e assistência social, provocada pela PEC do Teto do governo Temer, e agora, a entidade segue na luta contra a PEC 32/2020 (Reforma Administrativa), de Paulo Guedes e Bolsonaro, que visa acabar com o serviço público e favorecer a corrupção, as rachadinhas e o fim do atendimento gratuito e de qualidade à população.

“A ACP é uma entidade de luta, que tem no seu DNA, a garra de trabalhadores e trabalhadoras da educação, que lutam por uma cidade melhor, por meio de seus serviços prestados à população. Assim seguiremos”, destaca a vice-presidente da ACP, professora Zélia Aguiar.

Campo Grande, ACP e a superação do caos na pandemia

Os tempos em que estamos vivendo certamente serão contados como parte significativa da nossa história. A maior pandemia do século 21 assola o mundo e não poupou Campo Grande. Atravessamos dias muito difíceis desde março de 2020. Nessa luta pela vida, a ACP foi mais uma vez decisiva para a cidade.

Empenhada em proteger a vida, a diretoria do sindicato promove, desde 2020, incansável luta contra a Covid-19 e em defesa da educação. O sindicato sempre defendeu as aulas remotas, a vacinação da população e a prioridade de trabalhadores da educação na imunização contra a doença. Graças à luta da categoria, vidas foram poupadas e, de maneira histórica, educadores e educadoras de Campo Grande começaram a ser vacinados no dia 30 de abril de 2021.

“Foi um momento histórico para nossa luta. Às vésperas do dia do trabalhador e da trabalhadora iniciamos a imunização da categoria em nossa cidade. Foi a luta da ACP e seus filiados e filiadas que propiciou o retorno seguro às aulas presenciais no segundo semestre. Temos ainda muitos desafios, mas, o lema dos filiados e filiadas da ACP é ‘nossa luta não para!’. O desenvolvimento sustentável e com qualidade de uma cidade passa, fundamentalmente, pela educação. Nós lutaremos sempre por uma Campo Grande mais justa, equânime, inclusiva, com qualidade de vida, através da educação da nossa gente”, conclui o presidente da ACP, professor Lucilio Nobre.

Parabéns Campo Grande, por seus 122 anos!

ACP – Desde 1952, nossa luta não para!