Após 92 dias, chega ao fim a greve dos professores da REME

         Os professores deliberaram pelo fim da greve na Rede Municipal de Ensino. A decisão foi tomada em asssembleia geral na sede da ACP, nesta segunda-feira (24), após 92 dias de paralisação. 
         A maior greve da história da REME segue ainda até o dia 26 de agosto – aniversário de Campo Grande – quando os professores farão um grande ato de encerramento.
A categoria chegou a essa resolução depois de saber pelo presidente da ACP, Geraldo Gonçalves e o advogado do sindicato, Ronaldo Franco, que não houve acordo durante a audiência de conciliação no TJMS.
         A prefeitura insistiu em não cumprir a lei, alegando que os gastos com pessoal ultrapassam o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal de 51,3% e ofereceu novamente o pagamento de benefício por meio de bolsa alimentação. O sindicato deixou claro que a única reivindicação dos professores é o cumprimento da lei municipal 5.411/14 – lei do piso salarial.
         Após fazer uma análise de todo o movimento e debatendo as consequências da ausência de acordo na audiência de conciliação e a sinalização do TJMS em marcar a data do julgamento da ação sobre a lei municipal 5.411/14 para os próximos dias, os professores entenderam que o melhor caminho é acreditar na solução pela justiça.
         “Diante da resistência da prefeitura em não cumprir a lei e levando em consideração que os alunos têm direito às aulas, votamos pelo fim da greve. Entendemos que o movimento exerceu o seu papel de cobrar o cumprimento de leis e a garantia de direitos, além de demonstrar para toda a sociedade o descaso da prefeitura para com a educação pública de Campo Grande. Agora, acreditamos na justiça para ver nosso direito restabelecido”, afirma o presidente da ACP, Geraldo Alves Gonçalves.
         O sindicato discutirá com o secretário municipal de educação, Marcelo Salomão, e o Conselho Municipal de Educação, na tarde desta terça-feira (25), o calendário de reposição dos dias letivos paralisados.