ACP vai ao MPE protocolar representações contra a prefeitura

         No auditório lotado da Procuradoria Geral de Justiça de Mato Grosso do Sul com mais de 500 professores municipais, a ACP protocolou junto ao Procurador Geral Adjunto de Justiça, Paulo Passos, duas representações contra o prefeito Gilmar Olarte por crime de responsabilidade e por improbidade administrativa, em decorrência do não cumprimento da lei municipal 5.411/14 e lei federal 11.738/08. O ato aconteceu na manhã desta terça-feira (30).
         Ao receber o documento, Paulo Passos afirmou que ainda hoje buscará uma reunião com a prefeitura. “Os senhores e as senhoras têm o absoluto compromisso do Ministério Público de ser parceiro nessa solução, seja buscando um consenso, seja adotando as medidas judiciais cabíveis para essa situação”, declarou o Procurador de Justiça.

         Para o presidente da ACP, Geraldo Alves Gonçalves, o acionamento do MPE é mais uma tentativa para que a prefeitura cumpra a lei. “A categoria está paralisada há 37 dias, buscando tão somente o cumprimento de leis. Os trabalhadores que pagam impostos estão sendo privados de seus direitos por intransigência da prefeitura. Hoje, no MPE, o sindicato mostrou mais uma vez que a categoria aceita flexibilizar o percentual de 13,01 em até 10 parcelas, desde que haja uma lei garantindo isso”, afirma Geraldo.
         Nesta terça-feira (30), o sindicato continua aguardando a audiência com o prefeito municipal, Gilmar Olarte, e comissão de negociação da prefeitura informada na sexta-feira (26), pelo secretário de governo, Paulo Matos.

Agenda de greve
 
30/06 – 3ª feira
14h – Panfletagem e adesivagem – Av. Afonso Pena, com Rua 25 de Dezembro.
 
1º/07 – 4ª feira
9h – Assembleia Geral Extraordinária na ACP