ACP promove ações em defesa da vida e da Educação Pública durante Semana Freireana de Lutas

“Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso. Amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade” (Paulo Freire).

A ACP participa, de 14 a 19 de setembro, da Semana Freireana em Defesa da Vida e da Educação Pública. As atividades que celebram os 99 anos de nascimento de Paulo Freire são uma proposta da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) iniciando os preparativos rumo ao centenário do teórico brasileiro que revolucionou a educação.

Ao longo da semana, a ACP vai promover ações virtuais em defesa da Vida (Não ao retorno das aulas presenciais em 2020); da Regulamentação do FUNDEB (Recurso público para a Educação Pública); do Serviço e dos Servidores Públicos – Contra a Reforma Administrativa.

Veja o vídeo do presidente da ACP, professor Lucílio Nobre!

Rumo ao Centenário de Paulo Freire – Patrono da Educação Brasileira

A Lei n. 12.612, de 13 de abril de 2012, declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira. Paulo Reglus Neves Freire, nasceu no dia 19 de setembro de 1921, na cidade do Recife. Um dos pensadores mais notáveis da pedagogia mundial, defensor de uma prática dialética em busca da formação integral do ser humano. O seu livro “Pedagogia do Oprimido” é a terceira obra mais citada em trabalhos acadêmicos da área de humanas em todo o mundo. Recebeu 35 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e América e contribuiu com as reformas educacionais nos países da África que falam a língua portuguesa, com mais intensidade na Guiné-Bissau e em Moçambique.

“No sábado, 19 de setembro, celebraremos os 99 anos de nascimento do Educador Paulo Freire. Neste sentido, as entidades do movimento educacional brasileiro, reunidas no Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), convocam todo o povo brasileiro a celebrar a Semana Freireana em Defesa da Vida e da Educação Pública, vamos juntos reivindicar, anunciar, denunciar, agitar, mobilizar e fortalecer as lutas por Justiça Social”, convoca o presidente da CNTE, professor Heleno Araújo.