ACP encerra formação sindical 2016 com palestras sobre sindicalismo, lei da mordaça e reforma do ensino médio

A secretaria de formação sindical da ACP realiza nesta segunda-feira (05), o último ciclo de palestras do ano. Nesta edição, quatro professores doutores da UFMS vieram ao sindicato falar sobre a história do sindicalismo de MS, “Escola Sem Partido” e MP 746.

Pela manhã, o professor Eronildo Barbosa da Silva tratou dos “100 anos de sindicalismo no MS”. Abrindo o ciclo de palestras do período vespertino, Guilherme Passamani falou sobre a “Proposta Escola Sem Partido e as incoerências do retrocesso”. Fechando o dia, os professores Ricardo Pereira Melo e Antônio Carlos do Nascimento Osório analisam a “MP 746 – Reforma do Ensino Médio e os desdobramentos na Educação Pública”.

“2016 foi um ano muito difícil para os trabalhadores brasileiros, o que torna ainda mais imprescindível o estudo e análise do contexto. Os retrocessos vem de muitos lados e precisamos estar armados com o conhecimento para reagirmos. Essa missão é do movimento sindical. A cena real não virá pelas telas de TV ou de smartphones”, avalia o secretário de formação sindical da ACP, Gilvano Bronzoni.

Neste ano, em vários momentos a ACP abordou temas de grande impacto na vida dos trabalhadores brasileiros como o PLP 257, PEC 55 (PEC 241 antes de ir para o Senado), Lei da Mordaça, Reforma da Previdência, terceirização e precarização do Serviço Público, Reforma do Ensino Médio e vários outros pontos que penalizam diretamente os trabalhadores e a educação como um todo.

“Acreditamos e lutamos por um cenário melhor, onde a esperança e a representação democrática tenham espaço na transformação. Em nossa formação sindical deste dia 5/12 contamos com a valorosa participação de prof. Doutores da UFMS que nos dão um grande exemplo de pesquisa, debate e participação”, conclui Gilvano.