ACP cobra suspensão imediata de atividades presenciais nas escolas públicas de Campo Grande

Diante do grave surto de COVID-19 que está provocando a superlotação de hospitais e uma escalada assustadora no número de mortos no estado de Mato Grosso do Sul e em Campo Grande, a ACP protocolou, nesta quarta-feira (10 de março), ofício às Secretárias de Educação, cobrando o encerramento de todas as atividades presenciais nas escolas, inclusive o trabalho dos profissionais da educação.

No ofício ACP n. 033/2021, o sindicato solicita à Secretária Municipal de Educação, Elza Fernandes Ortelhado, que considere o Ofício n. 1.101 DGVS/GAB/SES/2021 onde é solicitado, pela Secretaria Estadual de Saúde, o não retorno das aulas presenciais; considere ainda a superlotação dos hospitais, e o grande surto da doença para suspender todas as atividades presenciais nas unidades escolares, enquanto durar a bandeira vermelha e o atual surto da COVID-19.

As mesmas solicitações estão no ofício n. 031/2021, endereçado à Secretária Estadual de Educação, Maria Cecília Amêndola da Mota, que foi protocolado na terça-feira (09).

Na Rede Estadual de Ensino, a ACP atua em conjunto à FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), na cobrança pela suspensão da presença dos profissionais da educação nas unidades de ensino.

Assista ao vídeo do presidente da ACP, professor Lucílio Nobre.

 

Veja a seguir Carta aberta da FETEMS ao governador do Estado, Reinaldo Azambuja.