“A montanha vai a Maomé”. Professores amanhecem em frente à casa de Olarte, tentando encontrar prefeito

         O prefeito Gilmar Olarte amanheceu recebendo visitas nesta quinta-feira (18). Um grupo de professores grevistas “tomaram café da manhã” em frente à casa de Olarte, na expectativa de encontrar o chefe do Executivo Municipal, que até este 25º dia de greve não compareceu a nenhuma reunião com a categoria.
         Os professores chegaram à frente da residência de Olarte as 6h e aguardaram o prefeito aparecer para cobrarem, mais uma vez, o cumprimento da lei do piso. Segundo a professora Mariluce Burgos que integrava o grupo, por volta de 30 minutos de espera, os professores viram chegar um carro e um homem desceu e conversou com os manifestantes.
         “Ele estava irritado. Disse que a gente não poderia adesivar nada. Nós dissemos que faríamos isso e que estávamos ali para falar com o prefeito. Ele então começou a tirar foto da gente e nós também fotografamos ele e a placa do carro. Logo depois chegaram mais dois carros e o prefeito saiu da casa”, relata a professora Mariluce.
         Assim que colocou os pés na rua, o prefeito Gilmar Olarte encontrou a professora Sandra em sua calçada. Parou, cumprimentou-a e recebeu de suas mãos a cópia da lei municipal 5.411/14 (lei do piso), para lembrar-se dos direitos dos trabalhadores garantidos por ele próprio na legislação. "Eu entreguei e lhe disse: essa é a lei do piso e precisamos que ela seja cumprida", afirmou a professora Sandra.
         Após cumprimentar todos os professores, Olarte ouviu o pedido do grupo. “Nós dissemos: Estamos aqui para ouvir a posição do senhor sobre o cumprimento da lei. Mas a resposta dele foi única: não tem dinheiro. Então pedimos que ele fosse ao sindicato, afinal ele é o único prefeito que não dialogou com a categoria. Mas tudo isso foi muito rápido, então ele entrou no carro e saiu”, explica Mariluce.
         Ainda sobre o cumprimento da lei, Olarte disse apenas que neste mês a prefeitura conclui o levantamento sobre suas finanças, mas não afirmou se irá pagar o que deve aos professores, segundo a lei.
         Após o rápido encontro com o prefeito, o grupo seguiu para a Câmara de Vereadores, onde se juntou aos demais professores para novo ato na sede do Legislativo.